Atendimento Blog Acontece

Blog Acontece

A LFG acredita que uma boa apresentação vai além dos materiais didáticos; por isso, disponibiliza um portal de conteúdos completo para você se aprofundar ainda mais.

OAB 2ª Fase - Dicas para conquistar a aprovação

LFG - OAB 2ª Fase - Dicas para conquistar a aprovação

 

O resultado da primeira fase do XXIII Exame de Ordem Unificado já foi divulgado pela Ordem dos Advogados do Brasil e os candidatos aprovados já se preparam para a segunda e última fase, que acontece no dia 17 de setembro, das 13h às 18h.

Ser aprovado na OAB garante ao bacharel o direito de atuar profissionalmente como advogado, além de torná-lo apto a prestar diversos concursos que exigem a aprovação no Exame de Ordem como pré-requisito.

 

SEGUNDA FASE DA OAB

O principal objetivo da prova da Segunda Fase da OAB é avaliar a capacidade prática do candidato. A prova é dividida em duas partes, que somam 10 pontos ao todo e, para passar, o candidato deve alcançar no mínimo 6 pontos.

Na primeira parte o candidato deve escrever uma peça prático-profissional sobre a área jurídica que optou quando fez inscrição. Entre as matérias estão direito administrativo, direito civil, direito constitucional, direito do trabalho, direito empresarial, direito penal ou direito tributário.

A outra parte da prova é composta por quatro questões discursivas, que valem 1,25 pontos cada e também são relacionadas à área jurídica que o candidato optou na hora da inscrição.

Nathália Masson é professora e coordenadora do curso Direito Constitucional – OAB 2ª Fase da LFG e ressalta a importância de treinar a peça durante os estudos.

"É imprescindível que os candidatos treinem exaustivamente todas as peças possíveis de serem cobradas, no intuito de identificarem com segurança aquela que deve ser confeccionada no dia do Exame de Ordem", explica Masson.

"Resolver cada peça em mais de uma oportunidade antes da prova permite que o aluno assimile quais são as particularidades de cada instrumento jurídico, bem como sua estrutura", completa.

 

A professora cita que, ao redigir a peça, é essencial que o aluno observe os seguintes pontos:

(i) o candidato deve contar o número de folhas destinadas para a confecção da peça, assim não será surpreendido por falta de espaço;

(ii) a letra deve ser legível (durante o curso o aluno deve redigir as peças à mão para treinar a caligrafia);

(iii) o texto elaborado deve ser claro e de fácil entendimento (o candidato deve redigir sua peça de forma coerente, mantendo uma linha de raciocínio lógica e compatível com o enunciado apresentado pelo examinador);

(iv) o candidato deve estruturar sua peça de forma organizada, ou seja, deve ter como objetivo elaborar uma peça esteticamente apresentável, separada por tópicos (uma peça bem arquitetada ajuda o examinador no momento da correção, evitando uma leitura maçante).

 

DICAS PARA ESCREVER A PEÇA PRÁTICA

Professores que lecionam na preparação dos alunos para a segunda fase da OAB recomendam que, quando estiverem com a prova em mãos e prontos para realizar a peça prático-profissional, iniciem montando o “esqueleto” da peça.

O esqueleto funciona como um mapa e ajuda o candidato a ter um bom desempenho na peça, uma vez que certifica que ele cumpriu os critérios especificados no edital, e auxilia no processo de fundamentação legal.

 

Identificação da peça e seus elementos

Em virtude do esqueleto ter a função de sistematizar a fundamentação da peça, o primeiro passo para montá-lo deve ser a identificação da peça, ou seja, se trata-se de uma petição inicial ou um recurso, por exemplo.

Para facilitar a identificação, leia o enunciado com calma para então determinar qual é a solução processual mais apropriada.

 

Depois de identificar qual será a peça, delimite no rascunho de prova os seguintes elementos:

Peça: Recurso XXXX

Juízo A Quo: Juiz de Direito da Vara XXXX

Juízo Ad Quem: Tribunal Regional da XXXX Região

Recorrente: Maria Aparecida

Recorrido: João da Silva

Fundamento legal: Art. X do Código XXX ou Art. XX da Lei X

Folha de interposição de recurso endereçada ao juiz da causa? Sim!

Perceba que, por meio do esqueleto acima, grande parte do trabalho de pesquisa no VadeMecum, de compreensão da problemática e da idealização da fundamentação é mais fácil de ser realizada. Evidentemente, a estruturação da peça depende do problema, havendo então a necessidade de estruturação dos tópicos de sua petição.

 

Delimitação de tópicos

Depois de montar o esqueleto, o segundo passo consiste na delimitação dos tópicos da petição, que deve ser dividido em três partes:

• Tese a ser combatida: breve explanação sobre a tese a ser combatida;

• Fundamentação legal: fundamentos legais e jurisprudenciais que justifiquem o combate da tese;

• Conclusão: solução jurídica a ser aplicada na visão do advogado.

 

Depois de organizar as ideias, fundamentos legais e jurisprudenciais, redigir a peça fica mais fácil pois a estrutura a ser seguida está clara em sua mente.

Com esse mapeamento, além de reduzir a margem de erro, também possibilita maior assertividade da sua peça de acordo com os critérios exigidos pela OAB.

 

EVITE OS ERROS MAIS COMUNS

O nervosismo na hora de prestar a segunda fase do Exame da OAB é um dos vilões e responsáveis que fazem os alunos que estudaram muito e se prepararam bem cometerem erros básicos que comprometem a aprovação no exame.

Ficar atento aos mínimos detalhes é fundamental na hora da prova para que todo o seu potencial seja devidamente colocado em prática.

 

Veja abaixo 5 erros que não podem ser cometidos na hora da prova:

1. Não risque a prova

Você vai receber dois cadernos, um contendo o espaço para as respostas, e outro, o rascunho, que também terá as perguntas elaboradas pela organizadora.

Só risque o rascunho. No caderno de prova só coloque as respostas.

 

2. Não escreva as respostas fora do espaço

Muitos candidatos saem do espaço destinado à redação ao escreverem suas respostas, além da linha demarcada.

Não fuja dos espaços destinados à resposta e mantenha a redação dentro dos parâmetros impostos pela prova.

 

3. Não assine a prova

Assinar a prova gera reprovação automaticamente e é um erro irrecorrível. Antes de tudo, leiam a folha de instruções da prova. Nela está contida tudo o que vocês precisam saber para fazer a petição de forma correta.

 

4. Erro de grafia

É comum, em algum momento, cometer alguma rasura ou um erro de grafia. Nesses casos, basta riscar a palavra errada continuar escrevendo.
Qualquer coisa além disso pode gerar problema.

 

5. Fique atento à quantidade de folhas disponíveis

Delimitar bem o espaço para o total da redação é uma medida absolutamente necessária.

Conte o número de folhas que você tem para escrever e esteja convicto que não passará o limite de páginas do caderno de resposta.

Alguns candidatos utilizam todas as folhas na elaboração da peça e precisam usar a parte de trás da última folha para concluir a petição, o que acarreta na perda de pontos, além de correr o risco de reprovação por suposta identificação.

 

ESTUDE FIRME

A segunda fase da XXIII edição do Exame da OAB acontece no dia 17 de setembro. Aproveite a reta final para focar nos estudos e praticar bastante a peça. Aproveite o tempo disponível, estude com antecedência e siga essas dicas que suas chances de passar na segunda fase serão bem maiores.

 

Bons estudos e boa prova!

 

Conteúdo produzido pela LFG, referência nacional em cursos preparatórios para concursos públicos e Exames da OAB, além de oferecer cursos de pós-graduação jurídica e MBA.

Assine nossa newsletter!

Recomendamos para você: