Blog Acontece

Este canal é feito especialmente para você que busca dicas de estudos, notícias e artigos do mundo jurídico, preparação para provas de concursos públicos e OAB, entre outros temas relevantes do segmento em que atuamos. Acompanhe nossas publicações e amplie ainda mais seus conhecimentos.

Como conciliar trabalho e estudos para concursos públicos

Como conciliar trabalho e estudos para concursos públicos

A vida das pessoas que trabalham e estudam para conquistar um emprego no setor público não é nada fácil. Dar conta de todo o conteúdo programático dos editais dentro do pouco tempo disponível exige muito esforço e dedicação.

 

Mas isso não quer dizer que os concurseiros mais ocupados estejam em desvantagem na comparação com os que se dedicam exclusivamente aos estudos.

Com organização, é possível conciliar trabalho com estudos e realizar o sonho de passar no concurso público. O que muda é a forma de colocar o seu projeto em prática, afirma Edilson Vitorelli, procurador da República em Campinas (SP), especializado em Direito Processual Civil e professor dos cursos preparatório da LFG para carreiras públicas.

"Atualmente, estudar e trabalhar é uma realidade no Brasil. São poucos os que têm o privilégio de poder se dedicar somente aos estudos", constata o professor. Para driblar a agenda apertada do dia a dia e o cansaço, ele sugere um bom planejamento de estudos. "Organização é a palavra-chave para os candidatos que trabalham”, indica ele.

 

 

Vantagens dos candidatos que trabalham

Apesar de terem seus dias mais corridos, os concurseiros que trabalham e estudam podem ter alguns ganhos em relação aos que podem se dedicar totalmente aos estudos. Um exemplo são os advogados que já atuam no mercado de trabalho e vivenciam o direito no seu dia a dia. Por já terem o conhecimento na prática, eles levam vantagem na hora de fazer as provas.

A tolerância com os concurseiros que trabalham também é maior, segundo comparações do professor Vitorelli. "Os que só estudam sofrem pressão maior para aprovação mais rápida. A cobrança é grande em cima dessas pessoas, tanto delas mesmas, quanto da família; às vezes, até por questões financeiras", observa ele, que já viveu as duas situações.


Quando começou a se preparar para seu primeiro concurso público, ainda na faculdade, Vitorelli apenas estudava. Ele sentiu na pele a cobrança pela aprovação. "Foi uma experiência muito ruim. As pessoas acham que você não está fazendo nada e que tem obrigação de se sair bem", lembra o professor.

Na segunda vez, Vitorelli estava trabalhando como procurador do estado de Minas Gerais e tinha mais responsabilidades, pois chefiava um grupo de 60 advogados. Seu trabalho era estressante, mas ele diz que se sentiu menos pressionado e a preparação para as provas foi mais tranquila.

 

 

Como montar um plano de estudos

Mesmo com menos horas diárias para os estudos, você pode se dar bem nas provas. Veja, a seguir, dicas listadas pelo professor Vitorelli para ter sucesso no seu projeto de ingressar no setor público.

 

 

1- Faça um projeto de longo prazo

Os concurseiros que se dedicam exclusivamente aos estudos desenvolvem um plano de estudos de curto prazo, pois podem se dedicar uma média de oito horas diárias. São pessoas que buscam resultados rápidos e traçam metas para a aprovação em um período de seis meses, dependendo do cargo desejado.

Já os candidatos com dupla jornada (trabalho e estudos) não podem seguir essa estratégia. O programa de preparação deles é de longo prazo. "Meu plano quando trabalhava e estudava foi de quatro anos", conta Vitorelli.

 

 

2- Organize seus estudos

Faça um plano de estudos de acordo com o seu tempo disponível e trace metas diárias, semanais e mensais. É importante fazer o monitoramento do seu rendimento. Mas o gerenciamento pode ser feito sem rigidez, aconselha o professor Vitorelli.

Organize seus estudos de acordo com a sua realidade. "Uma pessoa que trabalha dez horas por dia e decide estudar diariamente das 19 às 23 horas tem pouca chance de ter sucesso nesse plano", alerta Vitorelli. Nas primeiras semanas, o concurseiro pode até conseguir ter disciplina, mas logo ficará cansado e desistirá de sua promessa.

"Aqueles que fazem metas irreais acabam sendo vencidos pelo cansaço", constata o professor. Sua dica é: comece com um plano de estudos de 30 minutos por dia e aumente o tempo progressivamente.

O professor ressalta que o mais importante não é quantidade de horas mas a qualidade dos estudos. Em sua opinião, valem mais 30 minutos de dedicação com concentração do que quatro horas com cansaço e sem aprendizado.

"Tem gente que nem começa a estudar porque acha que 30 minutos é um período curto. É preferível o candidato dedicar menos horas e conseguir ser produtivo do que começar com uma agenda pesada e abandoná-la em pouco tempo porque não consegue dar conta", ressalta Vitorelli.

 

 

3- Experimente métodos variados de estudos

Quem tem menos tempo para estudar precisa ser mais objetivo e ter foco na hora de revisar os conteúdos exigidos pelo edital, seguindo a premissa da organização.

Vitorelli ensina a busca por um método de estudos eficaz e a adoção de novas ferramentas. Quem trabalha e estuda nem sempre tem tempo para ler todos os livros da bibliografia do edital, que na área jurídica são aproximadamente 24 obras.

Alguns temas podem ser estudados por videoaulas de especialistas, que demandam menos tempo. Recorrer a um cursinho, como os ministrados pela LFG, é também uma alternativa porque ajuda a organizar melhor os estudos.

 

 

4- Aproveite o "tempo morto"

Chegar em casa cansado depois de um dia de trabalho e ainda passar horas estudando não é fácil. A sugestão do professor Vitorelli aos concurseiros é que eles aproveitem o chamado "tempo morto". Trata-se de uma expressão muito utilizada pelos processualistas, que é o período que o processo fica parado, sem ser movimentado, aguardando uma providência burocrática.

Um exemplo de tempo morto é a espera em consultórios médicos, o período gasto em filas de banco ou durante o transporte. Em cidades grandes com muito trânsito, como é o caso de São Paulo, há casos de pessoas que perdem, por dia, de três a quatro horas com deslocamento entre casa e trabalho.

Outro exemplo são as pessoas que têm uma hora e meia de almoço e que podem destinar 30 minutos para os estudos. "Muitos perdem esse tempo com visita às lojas ou acessando o Facebook.

 

Use essa meia hora como tempo de estudo. Parece pouco, mas em cinco dias você terá estudado 150 minutos (quase três horas). Em um mês, serão mais de dez horas de estudo, o que não é nada desprezível", explica Vitorelli.

Ele aconselha que o concurseiro tenha sempre um livro à mão para aproveitar os minutos livres e adiantar a leitura. Se for difícil carregar a versão impressa, procure as publicações eletrônicas que podem ser lidas pelo celular.

 

"Já li livros de 600 páginas pelo smartphone", conta o professor. Há também aplicativos com questões de provas que podem ser estudadas no tempo morto.

Sobre ambiente ideal para estudos, Vitorelli não acredita nessa teoria. "Acho que quem se condiciona a estudar apenas sob condições ótimas, como dizem os entendidos de plantão (ambiente silencioso, bem iluminado, com uma boa cadeira etc.) está se privando de um valioso tempo de estudo".

A opinião dele é com base em sua experiência. "Sempre estudei em qualquer lugar. No ônibus, em ambientes barulhentos, enfim, tentava dar o melhor uso possível ao tempo que eu tinha disponível.

 

E acho que esse foi, para mim, um importante fator de aprovação, uma vez que eu também já trabalhava enquanto estudava", conclui Vitorelli.

 

 

5- Não se compare a outras pessoas

Cada um tem uma rotina e organiza seus estudos de acordo com a sua realidade. Por isso, evite ficar se comparando com outros concurseiros.

 

É um erro achar que outros estudantes conseguirão ser aprovados em concursos públicos e você não. Olhe para as suas chances e oportunidades, use a criatividade e tente, com bom-humor, achar fórmulas para alcançar seus objetivos.

 

 

6- Invista em qualidade de vida

É muito importante ficar atento com a qualidade de vida e com sua saúde durante as jornadas estressantes de trabalho e estudos. Por mais que você queira conquistar um emprego no serviço público, tem que se alimentar corretamente, dormir as horas de sono necessárias e descansar.

Especialistas alertam que estudar enlouquecidamente por muitas horas não é uma boa estratégia. Você vai ficar muito cansado e poderá prejudicar o seu rendimento. Então, procure incluir em seu programa de estudos momentos de lazer e relaxamento. Equilíbrio é a palavra-chave.

Conciliar trabalho e estudos para conquistar um cargo no setor público é realmente um projeto desafiador. Mas não é impossível para os que têm força de vontade, disciplina e foco. Muitos chegaram lá e você também poderá realizar o seu sonho.

 

 

Conteúdo produzido pela LFG, referência nacional em cursos preparatórios para concursos públicos e Exames da OAB, além de oferecer cursos de pós-graduação jurídica e MBA

 

Instagram

 

Como conciliar trabalho e estudo para concursos públicos

 

A vida das pessoas que precisam conciliar trabalho e estudos não é nada fácil, ainda mais das que decidiram enfrentar a maratona de provas dos concursos públicos para conquistar um emprego melhor. Dar conta de todo o conteúdo programático dos editais dentro do pouco tempo disponível exige muito esforço e dedicação. Mas isso não quer dizer que os concurseiros mais ocupados estejam em desvantagem na comparação com os que se dedicam exclusivamente aos estudos.

Confira as dicas para conciliar estudos e trabalho no site www.lfg.com.br/blog
#LFG #ConcursoPublico #EdilsonVitorelli #estudos

Assine nossa newsletter!

Recomendamos para você:

Central de Vendas
×

Central de Vendas

4020-2108

O atendimento é feito de 2ª a 6ª feira, das 08h às 20h, exceto feriados. Horário de Brasília.


ou


Nós ligamos para você: