Blog Acontece

A LFG acredita que uma boa apresentação vai além dos materiais didáticos; por isso, disponibiliza um portal de conteúdos completo para você se aprofundar ainda mais.

Como se preparar para a redação do Concurso da PF

Como se preparar para a redação do Concurso da PF

 

 

Ponto referencial e critério de desempate entre candidatos em concursos públicos, a redação não pode ser subestimada. Afinal, como explica a professora Luciane Sartori, “o peso da redação é muito grande”.

 

Em entrevista editada pelo blog Acontece LFG, Luciane aponta os erros mais comuns, técnicas, referências e algumas surpresas - entre outras dicas, para que o concurseiro não seja surpreendido e faça uma ótima redação. Confira.


● Geralmente, qual o peso ou a importância da redação em um concurso público?


O peso da redação é muito grande, ela faz a diferença na aprovação. Os candidatos costumam dedicar seu tempo de estudos à prova objetiva e deixar a redação por último. Na maioria das vezes, passam na objetiva e reprovam na redação. Não dá para subestimar a redação, é preciso exercitar.



● Quais os erros mais comuns dos candidatos na prova de redação? Há alguma técnica ou macete para não errar?


O que compromete o texto é não saber encadear as ideias e não saber fazer a devida articulação entre elas. É preciso ter cuidado com os erros de linguagem: concordância, regência e pontuação.


Dicas: Primeira, em relação à vírgula, se tiver dúvida, o melhor é não usar. Segunda, nas provas normalmente há os textos chamados “textos de motivação” que servem como subsídio para a redação, extraia deles as palavras principais e as utilize em cada um dos parágrafos de desenvolvimento de seu texto.


● Existe alguma dica ou técnica para iniciar uma redação?


Em primeiro lugar, o candidato deve aprender a fazer um projeto de texto a partir da proposta que a banca oferece. Lembre-se de que você não está fazendo um concurso de redação, mas uma redação para ser aprovado em um concurso. Seja bastante simples e, se a inspiração não vier, faça o primeiro parágrafo padrão: coloque sua tese e três argumentos.


Dica: Inicie a avaliação pelo projeto de texto da prova discursiva. Siga para a prova objetiva, para depois fazer a redação. Geralmente é possível aproveitar as informações contidas no corpo da prova objetiva para produzir o texto.



● O que conta mais: ter bons conhecimentos sobre o assunto em questão ou ter bons conhecimentos em língua portuguesa?


Em verdade, os dois aspectos são equivalentes em importância. No que diz respeito aos conhecimentos de língua portuguesa, estou me referindo à estrutura e à linguagem do texto dissertativo. Subentende-se que quem domina estes dois aspectos não tenha dificuldades com a ortografia e outros aspectos gramaticais que, em prova, inclusive, pouco peso têm.



● É possível estudar para uma prova de redação mesmo ela sendo tão subjetiva? Como o candidato deve se preparar?


É importante ressaltar que a redação não é tão subjetiva, pois existem os critérios estipulados pela banca e são eles que deverão nortear os estudos. Como se preparar? Estudando a linguagem e a estrutura dissertativas e fazendo muita redação.


Dica: Produza textos dissertativos, com base nas propostas das provas anteriores como também em propostas com assuntos semelhantes, e peça a um professor para corrigi-los. (confira no final do post o contato de um professor de Português que oferece o serviço de correção de textos).




● Considerando o que foi cobrado na prova de redação do último concurso da Polícia Federal, em 2009, quais as dicas para os candidatos que desejam se preparar para a próxima seleção?


As dicas são: fazer as propostas das provas anteriores e observar que os concursos da Polícia Federal normalmente fazem referência a temas relacionados às atividades da própria PF, seguindo a linha da “não violência policial”, ”da ausência de preconceito na atuação da polícia” e outros.



● O que a banca avalia na prova?


No espelho das provas anteriores constam os seguintes critérios de avaliação:

 

 


É importante lembrar que, a cada edital, a fórmula empregada com os critérios para a obtenção da nota do candidato muda, mas o desenvolvimento do tema tem sempre o peso maior, como mostra o quadro do espelho de prova acima.


Dica: Siga os critérios apontados no edital, observando sempre a maior pontuação. Lembrete: por que fazer um texto sem adequação estética se esse quesito normalmente equivale a 10% de sua nota? Cuide de detalhes como letra legível, espaçamentos, parágrafos e margens.


● No edital consta que o texto pode ser narrativo, dissertativo ou descritivo. O que compreende cada um destes gêneros?


Narrativo: é uma história, ou seja, é uma sequência sucessiva de fatos, basta lembrar dos contos de fada.


Dissertativo: é um texto analítico argumentativo, isto é, a análise de um assunto com o posicionamento do autor sobre ele. É o tipo de texto mais comum solicitado no concurso da PF.


Descritivo: reproduz uma imagem, ou seja, caracteriza um ser, um fato.



● Em relação aos temas, qual a recomendação da professora para que os candidatos não sejam pegos de surpresa?


Além dos temas já citados em resposta anterior, é importante ter em mente que os problemas existentes na sociedade não são culpa do governo apenas, mas sim da própria sociedade.


Dica: Lembre-se de que o texto não precisa apresentar tudo o que você sabe sobre o assunto. Atenha-se ao tema proposto e siga apenas uma linha de raciocínio argumentativo.


● Nas provas anteriores foi apresentado um texto sobre um determinado assunto. A partir deste texto o candidato deveria fazer uma redação dissertativa que contemplasse, obrigatoriamente, alguns tópicos. Qual a recomendação para que o candidato deixe claro ao examinador que os tópicos foram realmente abordados no texto?


Os tópicos apresentados em proposta de dissertação correspondem aos três argumentos que o candidato deverá desenvolver, representando, normalmente, os três parágrafos de desenvolvimento do texto. E, para que isso fique claro ao examinador, basta apontar em cada um desses parágrafos as palavras-chave dos tópicos.



Luciane Sartori – Professora de Português – gramática, interpretação de textos, redação discursiva e redação oficial –, revisora e redatora de textos há vinte e três anos. Formada em Letras e pós-graduada em Metodologia de Ensino para Terceiro Grau. Tem vinte e um anos de experiência na área de concursos. Autora da parte de gramática e de interpretação de textos do Vade Mecum para Concursos Públicos, lançado pela RT, e de algumas correções de prova no Ponto dos Concursos entre outros. Contatos: @lu_sartori; facebook: Luciane Sartori IV; e-mail:professoralucianesartori@gmail.com

 


Conteúdo produzido pela LFG, referência nacional em cursos preparatórios para concursos públicos e Exames da OAB, além de oferecer cursos de pós-graduação jurídica e MBA.

Assine nossa newsletter!

Recomendamos para você: