Blog Acontece

A LFG acredita que uma boa apresentação vai além dos materiais didáticos; por isso, disponibiliza um portal de conteúdos completo para você se aprofundar ainda mais.

Estresse: como identificar e prevenir

Estresse: como identificar e prevenir

 

 

Os dias atuais lotados de compromissos e responsabilidades podem causar o que muitos têm chamado de um dos males do século: o estresse. Afinal, principalmente para o concurseiro que concilia suas horas de estudo com o trabalho e outros afazeres, as formas de evitá-lo acabam ficando de lado. Além disso, quem nunca se sentiu cansado, sem vontade de continuar ou ainda com um grau de ansiedade elevado diante da proximidade de provas ou outras situações preocupantes?

 

Outras situações como mudanças (repentinas ou não), alterações de horários ou mesmo da alimentação, também têm seu impacto negativo para a instalação do estresse. Para aliviar um pouco os sintomas e auxiliar o estudante neste processo de identificação e prevenção, o blog Acontece LFG preparou um especial para que você identifique sintomas de estresse e ainda consiga preveni-los ao máximo.

 

Será que eu estou estressado?

 

Não é todo tipo de cansaço que pode ser considerado estresse. O cansaço físico após exercícios físicos, realizados de forma moderada, por exemplo, é diferente de uma situação que tenha trazido o desconforto e ansiedade, dois sintomas frequentemente encontrados em pessoas estressadas. Além disso, antes de mais nada, é preciso avaliar quais as condições mentais, emocionais e físicas para constatar o estresse.

 

Situações como emprego novo, provas ou mesmo coisas que impactem diretamente em sua vida, como a chegada de um filho, proximidade de casamento ou término de relacionamentos, a descoberta de uma doença ou mesmo a submissão a um tratamento e até alguns medicamentos específicos podem colaborar com um quadro de estresse. Além disso, morte de parentes e pessoas queridas, questões jurídicas, problemas com prazos e até mesmo o trânsito em seu caminho podem aumentar os níveis de estresse.

 

O consumo de produtos que contenham álcool, tabaco e cafeína, como alguns tipos de chocolates, chás e refrigerantes, também colaboram para que o quadro piore. O estresse pode se desenvolver para ansiedade grave ou moderada, além de Síndrome do Pânico e Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC).

 

Por isso, se você está passando por alguma das mudanças acima citadas ou mesmo tem observado alguns dos sintomas relacionados, o melhor a fazer é procurar um médico. O diagnóstico é obtido a partir de exames. Entretanto, alguns sintomas podem ser verificados mesmo antes do diagnóstico médico:

 

● Respiração e batimentos cardíacos acelerados;
● Tremores e sudoreses excessivos;
● Secura na boca;
● Dificuldades para dormir ou sono excessivo;
● Mudanças no apetite;
● Enjoos frequentes;
● Queda de cabelo;
● Tensão muscular;
● Alergias na pele;
● Vontade constante de ir ao banheiro;
● Gastrite;
● Dores de cabeça;
● Dores musculares, entre outros.

 

Como prevenir o estresse

 

Mudar a alimentação, preparar uma nova rotina, praticar exercícios que não elevem seu estresse e dormir as horas de sono indicadas estão entre as melhores práticas para prevenção e até mesmo para a libertação do estresse. Por isso, um dos primeiros passos para o caminho da prevenção é saber o que está causando (ou o que pode causar) o seu estresse; é identificar o início do problema. Procure saber se a causa é emocional, física ou mental e procure ajuda a partir deste autodiagnóstico.

 

Faça exercícios, mas com prazer

 

Fazer exercícios físicos auxiliam na diminuição e prevenção do estresse, é verdade. No entanto, para que esse auxílio faça seu papel, é preciso fazer exercícios a partir daquilo que lhe dê prazer. De nada adianta, por exemplo, você praticar natação para aliviar o estresse se você odiar nadar, acordar cedo ou mesmo ficar na piscina. Veja qual exercício físico mais te agrada e aposte nele. Fazer exercícios libera endorfina, além de outras substâncias. E a endorfina age praticamente como um analgésico natural.

 

Se prepare para estudar ou trabalhar

 

Quando fazemos algo com pressão, mesmo que venha de você mesmo, o estresse pode se instalar. Portanto, procure programar diariamente seus estudos, trabalhos e atividades que envolvam quaisquer práticas similares.

 

 

Tenha horário para refeições

 

Procure comer em um ambiente calmo, sem barulho e longe de celulares, televisores ou mesmo rádio. Aproveite esse tempo para desligar um pouco o cérebro de todos os problemas e tarefas que podem estar, justamente, martelando em sua cabeça. Além disso, separe frutas, barras de cereal e outros petiscos mais naturais para que você preencha todos os grupos alimentares em um dia, dia após dia.

 

Lide com suas emoções

 

Procure estar entre amigos e pessoas nas quais confia para que suas emoções sejam extravasadas. Afinal, ao desabafar, conversar e ouvir o que outros têm a dizer sobre determinadas situações, muitas vezes colabora para que tudo fique mais leve. Além disso, seja positivo, veja suas conquistas e progressos, sempre com tranquilidade.

 

Descanse de tempos em tempos

  

Reserve cerca de dez minutos para você a cada uma hora de estudos ou trabalho. Seja para caminhar até a área do café; seja para dar uma volta no quarteirão: é importante resetar o cérebro de tempos em tempos. Dez minutos em cada hora é demais e pode comprometer seu progresso? Troque por 15 minutos em duas horas. O importante é espairecer de vez em quando, quantas vezes forem necessárias.

 

Procure atividades que o acalmem

 

Meditar, fazer ioga, andar pelo parque, pedalar… Procure por atividades que te acalmem. É importante ter escapes que colaborem com seu bem-estar. Pode ser também com sessões de acupuntura ou massagem: o primordial é esquecer as preocupações diárias.

 

Saiba como dizer não

 

Dizer não é um dos fatores que mais relaxam, acredite. No entanto, de nada adianta dizer não para algo que esteja excedendo seu tempo, por exemplo, e ficar sentindo-se culpado. O planejamento é fundamental para que as tarefas não fiquem acumuladas. Admitir que não consegue fazer determinada tarefa, seja por falta de tempo ou mesmo conhecimento, não desmerece ninguém. Ao contrário, dá uma visão responsável de suas capacidades, além de deixar o estresse um pouco mais longe.

 

 

Conteúdo produzido pela LFG, referência nacional em cursos preparatórios para concursos públicos e Exames da OAB, além de oferecer cursos de pós-graduação jurídica e MBA.

 

 

 

Assine nossa newsletter!

Recomendamos para você: