Blog Acontece

A LFG acredita que uma boa apresentação vai além dos materiais didáticos; por isso, disponibiliza um portal de conteúdos completo para você se aprofundar ainda mais.

Quais os principais pecados cometidos pelos concurseiros?

Quais os principais pecados cometidos pelos concurseiros?

 

Não é segredo para ninguém que o concurseiro deve ser persistente e ter disciplina em suas ações. Assim, de nada adianta se ele se propuser a mudar sua vida para melhor e, por outro lado, não ter empenho suficiente.

 

Ao deixar de cumprir algumas premissas básicas para se sair bem em provas, este candidato se entrega à sorte - que nunca o ajudará, uma vez que as provas costumam ser complicadas, pegar os alunos pelo raciocínio lógico, ter armadilhas e muitos outros concorrentes, que podem ter se preparado da melhor forma possível.

 

Para que nada comprometa o sucesso desta empreitada, o Blog LFG Acontece listou alguns dos principais pecados cometidos pelos concurseiros. Confira:

 

 

Falta de planejamento

 

Planejar, não somente a maneira que irá estudar, mas seus estudos por completo pode ser a saída para que a prova não te envolva em um completo mar de novidades. Afinal, o edital está aí para direcioná-lo sobre os assuntos tratados e, geralmente, são muitos, não é mesmo? Por isso, trace um planejamento de estudos.

 

Este pode ser feito com horas dedicadas diariamente ou mesmo em dias intercalados. O problema é deixar para estudar todo o conteúdo em cima da hora.

 

Reveja o que você já sabe (começar por aí, pode ser uma boa saída, apontam especialistas) e parta para o que faz parte de um novo conhecimento. Além disso, procure, com este planejamento, não criar um plano que não consiga levar adiante.

 

Portanto, dentro desta tarefa, respeite-se: atribua a você a carga que conseguir sustentar. Se impor uma meta de oito, nove horas de estudo por dia, pode comprometer sua tranquilidade nos dias antecedentes ao concurso, bem como a realização da prova. Pense nisso e se organize de acordo com o seu método de estudo.

 

 

Gastar todo seu tempo de estudos em teorias

 

De nada adianta você ler ao edital completo de sua próxima prova e simplesmente estudar muito só a parte teórica.

 

É importante saber que somente a prática pode levá-lo a algum lugar. A teoria é relevante? Sim e nunca pode ser deixada de lado. No entanto, apostar só em questões teóricas para seus estudos está fadado ao fracasso.

 

Certamente, em seu tempo de estudo, uma boa parte de exercícios sobre àquela teoria devem ser realizados o tempo todo. Por isso, assim que você descobrir qual o seu melhor método de estudos, pratique bastante.

 

 

Crie sua rotina e não pule etapa alguma

 

Da mesma forma que pode ser prejudicial tanto à saúde do concurseiro quanto ao aprendizado não planejar seus estudos, não criar uma rotina ou mesmo pular etapas pode afetar todo o processo final.

 

Desta forma, estabeleça, dentro de seus limites, uma rotina para os estudos e procure mantê-la com afinco e força de vontade, sem pular etapas. Ao manter um padrão em sua forma de estudar, as informações tendem a ser mais construtivas no aprendizado.

 

Além disso, ampliar as formas de conhecimento e métodos, pode ser a salvação para algum assunto que não esteja sendo bem compreendido, por exemplo. Por isso, aproveite audiobooks, apostilas, vídeos e todo e qualquer conteúdo que agregue sua vontade de estudar e melhore seu conhecimento.

 

 

Estudar somente o que te agrada

 

Este é um dos principais pecados do concurseiro. Afinal, é muito mais gostoso estudar aquilo que gostamos, não é mesmo? Assuntos de preferência são sempre absorvidos da melhor forma. Portanto, fuja um pouco dos conteúdos que mais te apetecem, seja por identificação ou mesmo por facilidade.

 

Desafiar-se continuamente, inclusive, pode aprimorar a forma como este conhecimento é absorvido. Certamente, ao abrir este caminho sobre o desconhecido, seu cérebro se renovará.

 

 

Ignorar provas anteriores

 

A resolução e estudo de provas anteriores do concurso que você vai prestar é fundamental. Por isso, não ignore as avaliações que foram aplicadas em outros anos.

 

Mesmo que os assuntos tenham se renovado, é justamente a prática que o deixará atento às famosas pegadinhas, além de melhorar o raciocínio lógico e fazer com que a concentração seja direcionada para o que realmente é importante.

 

Além disso, essa prática de exercícios de provas aplicadas anteriormente leva também ao conhecimento do estilo da avaliação - essencial para uma boa produtividade em relação ao que os examinadores podem exigir.

 

 

Não fechar ciclos de temas

 

É recomendável ir ao final de um tema preestabelecido. É um erro pular de assunto em assunto sem fechar ciclos. Quebra a lógica e, na medida em que retornar ao estudo daquele tema, precisará voltar para relembrar do que se tratava e haverá perda de tempo.

 

A recomendação é não mudar de tópico sem fechar o ciclo de pensamento do assunto anterior, mesmo que sejam necessários dias de dedicação.

 

 

Conteúdo produzido pela LFG, referência nacional em cursos preparatórios para concursos públicos e Exames da OAB, além de oferecer cursos de pós-graduação jurídica e MBA.

Assine nossa newsletter!

Recomendamos para você: