Blog Acontece

Este canal é feito especialmente para você que busca dicas de estudos, notícias e artigos do mundo jurídico, preparação para provas de concursos públicos e OAB, entre outros temas relevantes do segmento em que atuamos. Acompanhe nossas publicações e amplie ainda mais seus conhecimentos.

4 dúvidas sobre a PEC que reduz a maioridade penal

LFG - Saiba mais e tire dúvidas sobre a PEC que reduz a maioridade penal

 

Coordenador da LFG e mestre em Ciências Criminais esclarece dúvidas sobre o assunto Yuri Felix, coordenador do curso de pós-graduação em Ciências Penais da LFG e mestre em Ciências Criminais, responde a quatro perguntas sobre os possíveis efeitos em caso de sanção da proposta de emenda à Constituição (PEC) que reduz de 18 para 16 anos a idade para punir os adolescentes em caso de crimes hediondos, de homicídio doloso e de lesão corporal seguida de morte.

 

O projeto já foi aprovado pela Câmara dos Deputados e seguiu para tramitação no Senado, ainda sem data para ser submetida à votação.

 

Confira as respostas do professor:

 

 

1. Caso seja aprovada pelo Senado, qual contribuição ou prejuízo podem ser gerados pela redução da maioridade penal no Brasil?

 

Yuri Felix: Com o reconhecimento internacional da importância da proteção de crianças, adolescentes e jovens adultos, fomentou-se o desenvolvimento da doutrina da proteção integral, visando uma abordagem não penal, mas social e multidisciplinar do tema criança e adolescente.

 

Esse pensamento, que no Brasil foi consolidado após a Constituição Federal de 1988, representa um avanço democrático, social, histórico e civilizatório.

 

A aprovação da redução da idade de imputabilidade penal pelo Senado Federal representaria um retrocesso civilizatório e democrático, sendo este vedado por organismos internacionais e tratados dos quais o Brasil é signatário.

 

O princípio da proibição ao retrocesso é a pedra fundamental das conquistas de direitos humanos e da democracia contemporânea. Assim, a redução da maioridade penal em nada contribuiria para uma sociedade mais pacífica e segura.

 

 

2. Como ficarão algumas regras após a possível aprovação da PEC?

 

Yuri Felix: São os principais pontos de alteração proposta em relação à legislação vigente:

 

1. A redução da idade de imputabilidade penal dos 18 para os 16 anos;

 

2. Algumas propostas de alteração legislativa asseveram que o adolescente deixará de cometer um ato infracional, o que acarretaria um tratamento diferenciado deste – que passaria a cometer crime, como um adulto em idade plena;

 

3. Outra proposta aponta que o adolescente que comete um crime hediondo deve ter um agravamento em sua punição, que deixaria de ser uma medida socioeducativa e passaria a ser prisão pena;

 

4. O adolescente que cometesse um crime hediondo deveria ter um maior período de internação e restrição de sua liberdade.

 

 

3. A redução da maioridade penal poderia aumentar o problema carcerário do país?

 

Yuri Felix: Os números do sistema carcerário brasileiro são escandalosos e alarmantes. Temos mais de 700 mil pessoas sofrendo algum tipo de restrição à sua liberdade, mais 200 mil mandados de prisão para serem cumpridos – isto sob condições subumanas de cumprimento de pena, ou seja, num sistema penitenciário que mais agride, humilha e desrespeita os direitos fundamentais do que recupera.

 

A redução da idade penal contribuiria sensivelmente para o exponencial aumento da população aprisionada sob estas condições.

 

 

4. Há alternativas para a diminuição da criminalidade dos jovens ou a redução da maioridade penal seria a melhor opção?

 

Yuri Felix: A melhor maneira de se buscar a diminuição da criminalidade envolvendo adolescentes seria, inicialmente, cumprir a Constituição Federal de 1988 e o Estatuto da Criança e do Adolescente, pois ambos apontam que toda a política estatal deve ter como prioridade investimentos voltados à criança e ao adolescente.

 

Deve-se ter em conta que o problema do adolescente em conflito com a lei não é uma questão que será resolvida com o direito penal, mas sim com políticas públicas e sociais que visam atender as necessidades e demandas principalmente dos jovens dos setores mais carentes da população brasileira.

 

 

*Conteúdo produzido pela LFG

Assine nossa newsletter!

Recomendamos para você: